Alopecia Areata

Alopecia areata, popularmente conhecida como “pelada”, é uma doença auto-imune que pode acometer crianças e adultos. Frequentemente apresenta fatores desencadeantes, como o stress. Ocorre um processo inflamatório na raiz dos folículos pilosos, que leva a queda dos mesmos em áreas arredondadas, formando “clareiras”. É mais comum no couro cabeludo, mas pode afetar os pelos de qualquer região do corpo, como barba, sobrancelhas e cílios.

Na maioria das vezes, a alopecia areata se manifesta de forma localizada, melhorando com o tratamento ou mesmo espontaneamente. Existe uma forma de acometimento do cabelo denominada difusa ou incógnita, quando a perda de fios ocorre difusamente, constituindo um desafio diagnóstico, porque o quadro se assemelha aos eflúvios telógenos e alopecia androgenética.

Raramente, o paciente pode evoluir com perda de todos os fios do couro cabeludo (alopecia areata total) ou de todos os pelos do corpo (alopecia areata universal). Estas formas mais graves também costumam ser de mais difícil resposta terapêutica.

Na hipótese de alopecia areata, a Dermatoscopia de Couro Cabeludo pode ser fundamental para fechar o diagnóstico, mas, eventualmente, há necessidade de biópsia.

O tratamento pode ser feito com medicamentos tópicos, sistêmicos ou intra-lesionais (infiltrações). Em alguns pacientes, a psicoterapia pode contribuir na melhora clínica, principalmente quando o stress e a ansiedade são fatores desencadeantes.